Ainda sem convencer, seleção fecha ano com 100% de aproveitamento pós-copa

Sem convencer novamente e apresentando erros na transição ofensiva e na criação das jogadas, a seleção  fez o suficiente para vencer Camarões por 1 a 0, nesta terça-feira (20), no Stadium MK, em Milton Keynes, cerca de 87 quilômetros de Londres.

Assim, encerrou o ano com 100% de aproveitamento no período pós-copa. Antes do triunfo diante dos africanos, venceu Estados Unidos (2 a 0), El Salvador (5 a 0), Arábia Saudita (2 a 0), Argentina (1 a 0) e Uruguai (1 a 0).

Com exceção dos uruguaios e argentinos, que ocupam a sexta e a 12ª colocação no ranking da Fifa, respectivamente, os outros adversários estão em posições bem inferiores, como os sauditas, atualmente em 72º lugar.

Nesta terça, otime apresentou outra vez erros no meio-campo, na transição ofensiva e na criação das jogadas.

Um dos motivos da falta de criação do time pode ser a saída de Neymar, logo aos sete minutos. Ele sentiu uma lesão na região da virilha direita e foi substituído por Richarlison.

Com estilo diferente do camisa 10, que costuma sair do lado esquerdo e cair para o meio, o atacante do Everton  foi o destaque positivo do amistoso. Procurou  o jogo, tomou a iniciativa e o esforço foi premiado com um gol de cabeça, aos 45 minutos.

Assim, igualou Neymar como o goleador do Brasil no período pós-copa, com três gols.

Se Richarlison ganhou pontos com Tite, o volante Paulinho, que atuou pela primeira vez pela seleção após o Mundial da Rússia, deixou a desejar.

Ele foi utilizado pelo lado esquerdo do meio-campo. Com a entrada  do jogador do Guangzhou Evergrande, da China, Arthur jogou recuado à frente dos zagueiros e Allan, do Napoli, pelo lado direito.

Foi a primeira vez desde que assumiu o comando da seleção que Tite iniciou o jogo sem um volante com características mais defensivas. Antes, utilizou Casemiro, cortado por lesão, Fernandinho, que ainda não foi chamado desde a derrota para a Bélgica, e Walace, que começou na reserva e entrou no segundo tempo.

Sem um volante de ofício, os laterais Danilo e Alex Sandro apoiaram pouco e a equipe apresentou um futebol burocrático. A seleção ainda deu espaço para o contra-ataque, mas o rival assustou apenas uma vez durante todo o jogo.

Neste período pós-copa, Tite convocou 40 jogadores, mas apenas 32 entraram em campo. Fagner, Marcelo e Pedro fazem parte desta lista, mas foram cortados por lesão e não jogaram. Já Rafinha e Malcom ficaram como opções. A lista ainda tem 3 goleiros sub-20 Hugo, Phelipe e Gabriel.

Dos convocados para o novo ciclo, os destaques foram Arthur e Richarlison, que certamente estarão na Copa América-2019, que será no Brasil.

BRASIL
Ederson; Danilo, Marquinhos, Pablo, Alex Sandro; Arthur, Allan, Paulinho (Walace); Neymar (Richarlison), Firmino (Gabriel Jesus), Willian (Douglas Costa). T.: Tite

CAMARÕES
Onana (Ondoa); Fuchs, Yaya, Kana Biyik, Bong; Mandjeck, Kunde (Olinga), Ekambi; Choupo-Moting (N’Jie), Djoum, Bahoken (Bassogog). T.: Seedorf

Local: Stadium MK, em Milton Keynes (Reino Unido)
Juiz: Michael Oliver (Inglaterra)
Público: 26.669
Gol: Richarlison, aos 45min do primeiro tempo

Banner Lateral (1)
ouça online
Banner Lateral (2)