Azambuja diz que vai sugerir usar Reserva Cambial para habitação e infraestrutura

Em reunião marcada para quarta-feira (14) entre o presidente eleito, Jair Bolsonaro (PSL), e os 27 governadores do país, o chefe do Executivo estadual de Mato Grosso do Sul, Reinaldo Azambuja (PSDB), disse que vai sugerir utilizar a Reserva Cambial do país, que gira em torno de 380 bilhões de dólares, para investimentos em habitação e infraestrutura.

“A ideia é usar uma parte desse dinheiro para investimentos em habitação e infraestrutura, que seriam grandes investimentos para fazer o país avançar”, comentou na tarde desta segunda-feira (12) durante assinatura de convênio para construção de casas populares em Paranaíba e Chapadão do Sul.

Ainda conforme o governador, com a reunião marcada para quarta, a gestão do Estado deve se reunir nesta terça-feira (13) para a elaboração de uma pauta de prioridades para Mato Grosso do Sul. “Vamos sentar amanhã e elaborar essa pauta para a reunião com o Bolsonaro”.

As reservas cambiais funcionam como uma margem de garantia, para mostrar a capacidade financeira de um país, visando a garantia da solidez financeira e a minimização dos impactos na economia. Elas ainda possibilitam a obtenção de uma boa classificação junto às agências de risco.

No caso do Brasil, essas reservas são necessárias porque o mercado internacional não confia nos agentes brasileiros e exige esse montante para amortecer um eventual calote.

Banner Lateral (1)
ouça online
Banner Lateral (2)