Com só um estádio liberado até agora, Estadual 2019 será em pontos corridos

Depois de quatro anos em formato de grupos regionalizados e mata-mata, o Campeonato Estadual de Mato Grosso do Sul será disputado no formato de pontos corridos em sua edição 2019, que começa em 20 de janeiro.

A decisão foi tomada na tarde desta segunda-feira (19), em reunião do Conselho Arbitral entre os diretores da Federação de Futebol do Estado e os dez clubes que dispurtaram a competição neste ano e que, a princípio, confirmaram presença em 2019.

Os outros dois participantes do torneio virão da Série B, ainda em disputa, e que tem, atualmente, a Aquidauanense na liderança, com 6 pontos, e Maracaju e Serc de Chapadão, com 4, empatados na segunda colocação. Moreninhas e Coxim já estão sem chances matemáticas de acesso, restando duas rodadas para o fim do campeonato.

A fórmula de disputa não é extamente nova no Estado. O campeonato de 2005 foi o último a ser disputado no sistema todos contra todos. Naquele ano, o extinto Cene foi o campeão. O Operário, equipe mais popular do Estado e atual dono do troféu, foi  o vice. Galo e Corumbaense serão os representantes sul-mato-grossenses na Copa do Brasil, Copa Verde e Série D do Brasileirão.

Medalhas que serão entregues aos campeões e vice do próximo ano da Federação (Anderson Ramos/Capítal News)

BASTIDORES

Quatro propostas estavam em discussão na reunião desta tarde.

Durante a votação sobre as propostas, na sala da presidência da Federação, duas empataram e foram para pleito final. Contudo, os dirigentes decidiram cancelar a votação e apresentar uma quinta proposta, que acabou sendo o formato aprovado.

O regulamento que vai definir os clubes participantes e regras do campeonato em 2019 tem ainda 15 dias para ser apresentado definitivamente pela FFMS, assim como a tabela da competição.

Em anos anteriores, mudanças drásticas no documento aconteceram nesse período de 15 dias, devido às restrições financeiras de transporte e hospedagem, conforme alegaram os dirigentes.

ESTÁDIOS

Clubes, Federação e UFMS estiveram no Morenão (Anderson Ramos/Capital News)

Com a fórmula definida, pelo menos por enquanto, praticamente todos os participantes precisam correr para acertar um detalhe fundamental que causa calafrios aos torcedores e se tornou um problema constante nos últimos anos: os estádios. Apenas um deles, dos confirmados oficialmente na Série A, possui alvará para a competição, o Laertão, em Costa Rica. O prazo, pelo menos estipulado, para a liberação é até o dia 5 de dezembro.

A Federação teme que os clubes abandonem a competição antes da bola rolar por falta de estádios, como ocorreu com Ivinhema e Ubiratan na Série B deste ano.

“Até o momento temos só o Laertão e é importantíssimo que os clubes corram atrás dos laudos pois tivemos os casos de Ivinhema e Ubiratan que desistiram da Série B com problemas em seus estádios”, disse o vice-presidente da entidade, Marco Tavares.

O Estádio Morenão, principal palco de Campo Grande, está liberado pelo Ministério Público Estadual até o fim deste ano, quando novos laudos devem ser apresentados.

Na última semana, dirigentes dos clubes da Capital e Federação se reuniram com representantes da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul, administradora da praça esportiva, para as obras a serem realizadas para se obter a liberação. A Confederação Brasileira de Futebol (CBF) também avaliará o campo para os torneios nacionais a serem disputados pelo Operário no local.

Algumas adequações foram solicitadas pelo Corpo de Bombeiros, Polícia Militar e Vigilância Sanitária, entre elas a reforma dos vestiários dos jogadores e dos banheiros utilizados pelos torcedores, pintura dos bares e sinalização de acesso ao público geral. Inicialmente a intenção é manter o estádio liberado para quase 10 mil torcedores como nos dois últimos anos e trabalhar para que durante a temporada se consiga ter toda a arquibancada à disposição dos torcedores.

Segundo Marcelo Fernandes, pró-reitor de Extensão de Cultura e Esportes da UFMS, o objetivo do encontro foi definir como clubes, Federação e Universidade podem atuar na sequência dos trabalhos. “Basicamente a gente está vendo como resolver os problemas de estrutura do estádio para que possa atender melhor a população. Dividindo as tarefas para saber como a Federação poderia ser parceira, como os clubes poderiam ser parceiros e como a gente poderia captar recursos com outros parceiros públicos, como o Governo do Estado”. Ele explica que a reforma dos vestiários está em fase final, além de melhorias no acesso externo.

Para estar totalmente liberado, o Morenão precisa que o trabalho feito no setor de cadeiras e arquibancadas cobertas seja também concluído nas arquibancadas descobertas e, de acordo com o presidente da Federação, Francisco Cezário, esse trabalho deverá seguir pelos próximos meses.

“Vamos propor junto ao Ministério Público um Termo de Ajustamento de Conduta e nos próximos seis meses vamos dar continuidade no que já foi feito e ter condições de liberação total da parte coberta e das arquibancadas”. Para o dirigente, o estádio liberado será um atrativo a mais para o torcedor campo-grandense. “Tudo está sendo feito de forma que os nossos torcedores tenham um bom ambiente para vir aos jogos, participar e voltar outras vezes”.

Maior interessado em ter o Morenão liberado em 2019, o Operário deixou claro que não pretende sediar seus jogos em outros locais, como o Jacques da Luz, as Moreninhas, estádio aceito pelos outros clubes da Capital.

“Sem o Morenão não existe futebol profissional em Campo Grande, por isso todo esforço possível e necessário do clube e da Federação de Futebol junto à Universidade Federal para que a gente possa fazer as adequações necessárias e ter todos os laudos deferidos e automaticamente a liberação do Morenão pelo MPE”, disse o vice-presidente do Galo, coronel Nelson Antônio da Silva.

EM DOURADOS

A boa notícia para Operário AC e Sete, ambos de Dourados, é que o Estádio Douradão deve ter a situação regularizada já em dezembro, segundo expectativa da Fundação de Esportes de Dourados (Funed), que administra o local.

O Douradão tem passado por algumas melhorias para a próxima temporada, como a implantação de sistema de irrigação automático, o que deve melhorar a qualidade do gramado, que também passa por manutenção.

O que preocupa é a estrutura para os torcedores. Adequações foram determinadas pelo Corpo de Bombeiros, Polícia Militar e Vigilância Sanitária para que os laudos sejam emitidos e os trabalhos estão em andamento.

De acordo com Jânio Amaro, diretor-presidente da Funed, as vistorias devem ser solicitadas nas próximas semanas. “O projeto de prevenção de segurança e incêndio está sob responsabilidade da equipe de engenharia da prefeitura e deve ser protocolado no Corpo de Bombeiros nos próximos dias para solicitar a vistoria”, disse.

Inicialmente, o estádio deverá seguir com 7.900 lugares liberados para os torcedores. “Capacidade total apenas após a aprovação do projeto e execução da obra”, disse.

CONFIRA A PRIMEIRA RODADA DO ESTADUAL 2019 (DIAS E HORÁRIOS AINDA NÃO INFORMADOS):

Comercial x Vice-campeão da Série B
Urso x Novo
Operário x Corumbaense
Campeão da Série B x Operario-DD
União x Costa Rica
Sete x Águia

A festa do Cene após a vitória sobre o Operário na penúltima rodada do último campeonato de pontos corridos, em 2005 (Arquivo)
Banner Lateral (1)
ouça online
Banner Lateral (2)