Consumidores aprovam etanol hidratado e consumo cresce 48,7%

Entre janeiro e setembro deste ano, Mato Grosso do Sul registrou um consumo de etanol hidratado de 91,6 milhões de litros. O volume comparado ao mesmo período do ano passado representa um crescimento de 48,7%, indica a Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP).

Apesar do bom momento apresentado pelo biocombustível, o consumo do gasolina C teve uma queda modesta de consumo, na ordem de 8%, em relação ao mesmo período de 2017. No mês de setembro deste ano foram consumidos 55,5 milhões de litros, enquanto que no mesmo período do ano passado, o consumo foi de 64 milhões de litros, significando queda de 13%.

Segundo o presidente  da Associação de Produtores de Bioenergia de Mato Grosso do Sul (Biosul), Roberto Hollanda Filho, o etanol está cada vez mais competitivo frente à gasolina e isso reflete em toda a cadeia, desde a produção até o consumo. “A paridade com a gasolina favoreceu o consumo do etanol, no entanto, a participação do etanol no mercado do Mato Grosso do Sul ainda é pequena com relação a outros Estados importantes na produção do combustível”, considera.

Em Mato Grosso do Sul, a comercialização do etanol hidratado corresponde a 15% do mercado, enquanto em São Paulo já atingiu 52% e Goiás 53%.

Com aumento na demanda de consumo no Estado, o etanol hidratado aumentou sua participação no Ciclo Otto (nome genérico dado ao mercado de combustíveis que considera motores que utilizam etanol ou gasolina). De janeiro a setembro, o biocombustível cresceu em 4% a sua presença no mercado, comparado ao ano anterior.

Ainda de acordo com dados da ANP, em Mato Grosso do Sul, a média de paridade no preço do etanol e da gasolina ao longo do ano foi de 79,8%. Em setembro, foi registrado o menor valor de paridade dos preços entre os respectivos combustíveis, que ficou em 74,2%.

CENÁRIO NACIONAL 

No cenário nacional, a comercialização do etanol hidratado também foi acima da média. De janeiro a setembro, as vendas do biocombustível cresceram 41,3%, conforme último levantamento da Síntese de Comercialização de Combustíveis divulgado pela Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP).

Apesar da alta, no mês de setembro o volume de etanol hidratado comercializado pelas distribuidoras apresentou queda de 1,21% em relação ao mesmo mês do ano passado, registrando o volume de 1,8 milhão de m³.

Para a ANP, esse aumento na demanda do etanol hidratado reflete “um efeito de substituição do etanol hidratado em relação à gasolina C”, o motivo seria preços mais competitivos do biocombustível.

Banner Lateral (1)
ouça online
Banner Lateral (2)