Em MS, 78% dos homens cuidam mais da saúde após participar de pré-natal

Francisco Norberto Moreira da Silva, coordenador da Saúde do Homem do Ministério da Saúde (Foto: Reprodução)Francisco Norberto Moreira da Silva, coordenador da Saúde do Homem do Ministério da Saúde (Foto: Reprodução)

A 3ª etapa da pesquisa Saúde do Homem, Paternidade e Cuidado, do Ministério da Saúde, indica que 71% dos pais ou dos que assumiram a figura de pai, participaram das consultas de pré-natal com suas parceiras em Mato Grosso do Sul. Deste total, 78% afirmaram que o envolvimento os motivaram a cuidar melhor da sua saúde.

Nesta etapa da pesquisa foram realizadas 37.322 entrevistas com pais ou cuidadores que assumiram a figura paterna e que acompanharam o pré-natal, parto e pós-parto de crianças nascidas no Sistema Único de Saúde (SUS) no ano de 2015.

O coordenador da Saúde do Homem do Ministério da Saúde, Francisco Norberto Moreira da Silva, pontua que diferente da mulher, e até por barreiras socioculturais, o homem não se previne. “População masculina tende a buscar os serviços de saúde já na atenção especializada – e não no atendimento primário, por meio da promoção da saúde e da prevenção – o que traz como consequência o agravamento de doenças”, disse.

Os dados demonstram que a paternidade é a principal porta de entrada do homem na unidade de saúde para que ele também se cuide. O objetivo da pesquisa é obter dados sobre o acesso, acolhimento e cuidados com a saúde masculina nos serviços públicos de saúde; e levantar informações sobre o envolvimento do pai no pré-natal e nascimento da criança. A coleta de dados foi feita entre março de 2017 e março de 2018. Em Mato Grosso do Sul foram feitas 439 entrevistas.

Embora a pesquisa aponte maior conscientização em relação à saúde, devido a participação no pré-natal, ainda é alto o número de homens que não têm na sua rotina o cuidado com a saúde.

Quando questionados sobre o costume de buscar os estabelecimentos públicos de saúde,37% dos entrevistados de Mato Grosso do Sul afirmaram não ter o hábito de ir nesses locais. Desse total, 47% informaram que o desinteresse é motivado por não costuma cuidar da saúde nunca.

Contudo, muitos agravos poderiam ser evitados, caso os homens realizassem, com regularidade, as medidas de prevenção.

A pesquisa Saúde do Homem, Paternidade e Cuidado integra a estratégia Pré-Natal do Parceiro, presente no eixo Paternidade e Cuidado, da Política Nacional de Atenção Integral à Saúde do Homem (PNAISH), do Ministério da Saúde.

A Política visa qualificar a saúde da população masculina, na perspectiva de linhas de cuidado, resguardando a integralidade da atenção (primária – promoção da saúde e prevenção do adoecimento; e especializada) no âmbito do Sistema Único de Saúde (SUS). (Com informações Ministério da Saúde)

Banner Lateral (1)
ouça online
Banner Lateral (2)