Mãe e filha mortas a facadas são veladas em capela de Rio Brilhante

Corpos chegaram por volta de 1h30 desta terça-feira (Foto: Maikon Junior e Olimar Gamarra) Corpos chegaram por volta de 1h30 desta terça-feira (Foto: Maikon Junior e Olimar Gamarra)
A acadêmica de História Maiana Barbosa de Oliveira, 20 anos, e a filha dela, Dandara, de um mês de vida, são veladas na capela mortuária Ilton Soares Cândido, em Rio Brilhante, cidade onde moram a família. Os corpos chegaram no município por volta de 1h30 desta terça-feira (27). O principal suspeito pelo crime, Marcos Fioravanti Neto, 22 anos, namorado da vítima e pai do bebê, está preso em Glória de Dourados.

O horário do sepultamento ainda não foi definido. As últimas homenagens à mãe e filha acontecem na capela mortuária localizada na Avenida Lourival Barbosa, no Centro de Rio Brilhante. O clima é de muita tristeza na cidade. Maiana cursava o primeiro ano de História na UFGD (Universidade Federal da Grande Dourados), era praticante de capoeira e empenhada na luta afro em defesa dos direitos das minorias e contra o racismo.

Tragédia – A estudante de história Maiana Barbosa de Oliveira, de 20 anos, e a filha que tinha com o suspeito, Dandara, foram encontradas mortas nesta segunda-feira (26) no quarto de uma casa localizada na Rua Humaitá, entre Bela Vista e Cafelândia, no Jardim São Pedro, região sul de Dourados.

De acordo com a perícia, Maiana foi morta com uma facada no lado direito do pescoço. A criança também tinha uma perfuração no pescoço e lesão na cabeça e Marcos é o principal suspeito. A faca usada no duplo assassinato foi encontrada na casa. Ele é de família tradicional em Dourados e conforme apurado pelo Campo Grande News sofre de distúrbios psiquiátricos. Conforme a Polícia Civil, após o crime o rapaz roubou uma moto em Vicentina e seguiu para em Glória de Dourados, onde assaltou uma idosa – possivelmente para continuar a fuga -, mas foi preso.

Ainda não se sabe como o suspeito chegou até Vicentina, mas Marcos foi interrogado, no final desta tarde (26) pela Polícia Civil. O caso é investigado pela Delegacia de Atendimento à Mulher de Dourados.

Banner Lateral (1)
ouça online
Banner Lateral (2)