MasterChef de merendeiras tem 10 receitas semifinalistas e votação é através de likes

De vatapá a omelete, as cozinheiras por trás das 10 receitas que estão participando do concurso de alimentação escolar de Campo Grande estão se sentindo as próprias masterchefs. A seleção que começou com 17 merendeiras de escolas municipais inscritas chega a semifinal com 10 pratos. Destes, os cinco que tiverem mais curtidas no Facebook vão para a final.

Dona Luzia tem um sotaque que não nega, é paranaense da cidade de Marechal Rondon, apesar de estar três décadas em Campo Grande. De merendeira mesmo ela tem menos de dois anos, mas experiência em cozinha já somam mais de 25. Autora da receita “polenta em três camadas”, ela usa abobrinha refogada, cenoura e frango. “Eu aprendi a cozinhar desde sempre, com a minha mãe. E fui buscando receita, gosto muito de testar coisa nova e essa é uma delas”, conta Luzia Alves de Brito, de 52 anos.

Polenta de três camadas. (Foto: Luzia Alves)

A polenta já foi apresentada na escola e a merendeira teve sucesso. Luzia foi a primeira a se inscrever na seleção. “Trabalhar com criança é muito bom, eles são verdadeiros e falam mesmo. ‘Não gosto de abróba’ e eu falo: ‘é abóbora e tem que comer, porque é nutritivo'”, descreve.

Na receita, como a polenta fica em camadas, os alunos da Escola Municipal Vanderlei Rosa, onde a merendeira cozinha, nem sentem. “Eles gostaram demais, fica embutida ali e ninguém percebe a abóbora e a cenoura”, explica.

Fã do programa MasterChef Brasil, dona Luzia está se sentindo a própria. “Eu quero mostrar que a merenda escolar está em alto nível. Hoje é comida, não é merendinha, a gente está alimentando mesmo crianças que muitas vezes só estão comendo assim na escola”, ressalta.

A seleção está sendo feita pela Superintendência de Abastecimento Alimentar, ligada à Secretaria Municipal de Educação. “Nossas merendeiras foram motivadas a criar receitas para estarmos inserindo no nosso cardápio”, explica uma das organizadoras, a nutricionista Fernanda Mendes Costa. O concurso também serve como seletiva para a etapa nacional que já está em sua terceira edição.

O concurso está rolando desde o dia 28 de outubro e nesta etapa, as cinco finalistas serão as receitas que tiverem mais curtidas pela página da seleção no Facebook. “A gente fez assim para a comunidade escolar valorizar as merendeiras. Quando ligamos para as diretoras para avisar, dissemos que esta etapa é mais delas do que nossa, é fazer campanha, pedir para os alunos, os pais”, completa Fernanda.

Todas as etapas seguiram critérios rigorosos, desde a inscrição. As receitas deveriam vir com fotos, ingredientes, modo e tempo de preparo descritos e ser preferencialmente salgada, saudável e fazendo o aproveitamento integral dos alimentos.

Doce bobó da tia Padilha. (Foto: Janete Padilha) 

“A etapa final vai ser na UCDB, onde elas vão cozinhar e passar pela comissão julgadora, que tem representantes do Conselho Municipal de Alimentação Escolar, duas nutricionistas, dois chefs e a coordenadora do curso de Nutrição da Universidade”, comenta Fernanda.

As três primeiras colocadas terão as receitas incorporadas no cardápio das escolas municipais de Campo Grande, além de ganharem uma televisão de 40 polegadas, um smartphone e uma bicicleta, respectivamente.

Merendeira do Ceinf Cordeirinho de Jesus, dona Janete não só fez uma receita de bobó como colocou o próprio nome como forma de “patentear” o produto. O doce bobó da tia Padilha leva todos os ingredientes que a merendeira costuma trabalhar na escola: leite, abóbora, chuchu e batata. “E você bate tudo que as crianças comem sem nem saber o que está acontecendo. Fica um creme que eu corto frango e coloco”, argumenta Janete Padilha, de 55 anos.

A receita já foi testada e aprovada pelas crianças que comem no Ceinf. “É o bobó da tia Padilha, eles amam esse prato. Dei a minha assinatura, porque já que fui eu que fiz, precisava combinar comigo”, completa.

Dona Janete não tem televisão, logo o prêmio do primeiro lugar viria a calhar. “Eu me sinto chef de cozinha fazendo qualquer comida, sabe? Se tiver os ingredientes, me dá que eu faço”, avisa. A torcida é para ganhar, mas só de participar, ela já está feliz da vida. “É vestir a camisa, sabe? Eu gosto demais de trabalhar aqui”, resume.

Para votar nos pratos e conhecer as receitas, acesse: Concurso Melhores Receitas da Alimentação Escolar de Campo Grande.

Vatapá de carne.
Arroz de charque ao molho de legumes. 
Bobó de abóbora com batata doce e frango.
Charuto de frango com cenoura. 
Creme de abóbora com frango.  
Macarrão parafuso.
Omelete assado de legumes.
Torta de abobrinha verde com aveia. 
Banner Lateral (1)
ouça online
Banner Lateral (2)