Quedas de avião mataram três pessoas em Mato Grosso do Sul neste ano

Acidentes aéreos mataram três pessoas em Mato Grosso do Sul, em 2018, em quedas de aeronaves de pequeno porte. Em menos de um mês, foram duas vítimas no interior do Estado. Além dos acidentes com mortes, número de incidentes envolvendo aeronaves chega a 16 casos.

De acordo com relatório do Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Cenipa) da Força Aérea Brasileira, em 2018, as principais causas dos incidentes com aeronaves são perda de controle, problemas com motor e sistema e colisão com objetos no solo, que causam as quedas.

O caso mais recente foi em Chapadão do Sul, na manhã de hoje (10), onde um avião comercial foi encontrado caído em uma lavoura de soja. O avião decolou por volta das 10 horas de domingo, de um aeroporto em uma propriedade rural, com destino a Juara (MT) e caiu há cerca de 10 km da pista, provocando a morte de Gilsimar Ferreira Freitas, de 41 anos.

As causas da queda ainda são investigadas, mas, segundo um familiar do piloto, ele fazia uso de remédios e não descarta a possibilidade de Gilsimar ter apagado durante o vôo.

No começo do mês, dia 1º, uma aeronave foi encontrada, em uma área alagada em Jateí. A suspeita é que o veículo tenha caído no dia 29 de novembro e que haviam quatro pessoas no avião, mas somente o piloto, identificado Gustavo Henrique da Silva, de 23 anos, foi encontrado, já morto. As circunstâncias do acidente e informações pelos outros envolvidos ainda estão sendo investigadas pela Polícia Civil de Naviraí.

No dia 27 de fevereiro, o pecuarista Danilo Carromeu Domingues, que havia decolado em Presidente Prudente (SP) e ia rumo a Rio Verde, caiu por volta de 10h da manhã, em Brasilândia.

Segundo informações da polícia, pouco antes da queda, ele teria entrado em contato com torre de controle para relatar problemas na aeronave e não haveria mais ninguém ocupando a aeronave.

O inquérito que apura as causas do acidente de um avião monomotor indica que o mau tempo no dia, pode ter causado o acidente. O laudo técnico não apontou problemas mecânicos na aeronave e também que Danilo não teve nenhum indício de mal-estar.

MÊS DOS ACIDENTES AÉREOS 

Em novembro, além do caso registrado em MS, aconteceram outras cincos quedas pelo Brasil. Em São Paulo, um monomotor caiu, no dia 30, onde 2 pessoas morreram e 11 ficaram feridas. A queda foi em uma área residencial e casas e carros foram destruídos pelas chamas.

No estado de Minas Gerais, no dia 26, um avião bimotor caiu e matou as quatro pessoas que estavam a bordo. Informações dão conta que o avião teria explodido antes de tocar uma das asas no solo quando fazia o procedimento de pouso.

Também no mesmo Estado, no dia 4, cinco passageiros de um avião experimental de pequeno porte, entre eles três crianças, morreram devido à queda da aeronave.

Mato Grosso registrou duas quedas com sobreviventes em novembro, no dia 7, após queda de um avião, o piloto foi encontrado vivo depois de ficar desaparecido por três dias numa região de floresta. A aeronave foi encontrada destruída por empregados de uma fazenda, mas polícia e familiares acreditavam que o piloto pudesse estar vivo porque a cabine do avião estava intacta, a porta estava aberta e não havia marcas de sangue no local.

O mesmo aconteceu com o piloto e o copiloto de um avião de pequeno porte, que não chegou em seu destino final e perdeu contato com a base de controle no dia 30. Os tripulantes foram encontrados com vida, no dia 4 de dezembro, em uma região de mata.

* Com informações da FolhaPress e G1

Banner Lateral (1)
ouça online
Banner Lateral (2)