Um dia depois, Federação volta atrás, cancela pontos corridos e Estadual terá mata-mata

Não durou um dia a nova fórmula escolhida para o Campeonato Estadual de Mato Grosso do Sul em 2019. Após definir que o campeão da próxima temporada seria definido em pontos corridos – com jogos de ida e volta e sem final -, clubes e Federação de Futebol decidiram voltar atrás. E teremos mata-mata.

De urgência, uma nova reunião foi convocada na terça-feira (20) na Federação de Futebol de Mato Grosso do Sul pelo presidente Francisco Cezário para discutir uma nova fórmula de disputa. O encontro não foi anunciado ao público, sendo realizado “secretamente”.

Contudo, algumas informações já vazaram antes de serem tratadas como oficiais. A proposta colocada à mesa envolve uma primeira fase ainda em grupo único, mas com apenas um turno (ou seja, sem os jogos de volta). Seriam 11 partidas por clube, variando entre cinco ou seis em casa, dependendo do sorteio que vai definir a tabela da competição (veja ao final).

Ao final dessa fase, os quatro últimos seriam rebaixados para a segunda divisão, enquanto os demais oito clubes se classificariam para uma fase de mata-mata, com quartas, semi e final, em jogos de ida de volta. Ao todo, serão 66 duelos na primeira fase e 14 na fase derradeira.

Como isso, enquanto os pontos corridos fariam o Estadual 2019 ter 132 jogos, neste outro formato serão 80 jogos ao todo, uma redução de praticamente 40%. O número é semelhante aos 74 jogos que seriam disputados caso a fórmula que se repete desde 2010 – dois grupos com duelos internos de ida e volta e mata-mata com quartas, semi e final – fosse mantida para 2019.

CBF teria vetado Estadual com mais de 18 datas

O motivo apresentado oficialmente pela FFMS para convocar o encontro a portas fechadas e rediscutir o Estadual 2019 é que a CBF teria vetado uma competição com mais de 18 rodadas – que é o total de datas agendadas para os estaduais.

Entretanto, nos bastidores a informação é de que o aumento das despesas com transporte e hospedagem gerou preocupação nos dirigentes da federação e clubes, já que o valor oferecido pelo Governo do Estado para cobrir tais gastos não sofrerá reajuste.

A redução de jogos também abriria mais datas no calendário. Ao invés das 22 definidas ontem, serão 17 (11 na fase de grupos e 6 no mata-mata). Isso possibilitaria aos clubes que fossem feitos os remanejamentos de partidas na tabela, prática já corriqueira em Mato Grosso do Sul.

Banner Lateral (1)
ouça online
Banner Lateral (2)